Clube muda de nome: surge o Grêmio Esportivo Olímpico

abril 21, 2010 por  
Arquivado em: Notícias

A situação de guerra em que havia se incluído o País, obrigou o governo brasileiro a tomar medidas que atacariam decisivamente clubes de futebol, sociedades e até mesmo denominações de ruas ou qualquer outro motivo que pudesse inspirar propaganda estrangeira no território nacional.

Diante desse disposto foi baixado pelo Conselho Nacional de Desportos, uma deliberação de número 5.342, em 2 de março de 1943, “alterando denominações que derivassem de nomes de Nações, Estados, Regiões ou Municípios”.

Através de circulares expedidas pelo Conselho, veio uma determinação à direção da Sociedade Desportiva Blumenauense  em que dizia: “A palavra que qualificar o nome de uma associação desportiva, não pode mais derivar dos vocábulos, Brasil, Nação Estado, Território ou Município, que são privativos, respectivamente do CND (Conselho Nacional de Desportos), das Confederações, Ligas e centros classistas desportivos. Não pode a agremissão mesmo incorporar ao seu nome a palavra Brasil, salvo autorização do CND, e parecer homologado pelo sr. Ministro da Educação e Saúde”.

Após a determinação, dirigentes de clubes de Blumenau entraram em um período de discussões das suas novas denominações. O Recreativo Brasil aproveitaria sua localização, a Alameda Duque de Caxias, para passar a denominar-se Palmeiras EC; o América, da Itoupava Norte, para se tornar Guarani EC; enquanto que a Sociedade Desportiva Blumenauense passaria a Grêmio Esportivo Olímpico. Já o Amazonas manteve o nome, tirando apenas o “s” e depois passando um período de inatividade. Só retornou após a Guerra, quando novamente não observava-se denominações conforme a deliberação governamental.

O nome Grêmio Esportivo Olímpico foi uma idéia que encontrou simpatia entre os desportistas, porque o clube havia surgido de uma Sociedade de Ginástica Olímpica, e lembraria sempre a extinta Sociedade Ginástica, já então adormecida e paralizada pelo temor de influências alemãs e nazistas.

A reunião de aprovação da denominação coincidiu com a eleição da nova diretoria, a primeira da nova fase do clube, cujo primeiro ato foi a consagração do nome Grêmio Esportivo Olímpico. O presidente José Ribeiro de Carvalho foi mantido no cargo, e os demais membros foram os seguintes: Tenente Domingos Costa Hernandez (vice-presidente); Manoel Pereira Júnior (secretário geral); Wilmar da Luz (primeiro secretário); Werner Eberhardt (segundo secretário); Frederico Kretzmann (primeiro tesoureiro); Herbert Wehmuth (segundo tesoureiro); e Nicolau Pederneiras, Victor Krepsky, e Guilherme Pawlowsky Júnior (Willy) na Direção Esportiva. A comissão de sindicância (conselho fiscal) ficou formado por Arthur Rabe Júnior, Otto Abry, Augusto Reichow, Henrique Rieschbieter e Willy Belz.

Em poucos dias a cidade toda tomava conhecimento através da imprensa da grande transformação ocorrida nos clubes de Blumenau. O desaparecimento do nome Sociedade Desportiva Blumenauense entristeceu muitas pessoas, que durante anos aprenderam a amá-la. Porém ao Grêmio Esportivo Olímpico era reservado um grande futuro.

Os comentários estão fechados.