Ginástica Olímpica: o resgate de uma tradição

abril 21, 2010 por  
Arquivado em: Notícias

Equipe principal masculina

 O nascimento do Grêmio Esportivo Olímpico tem muito a ver com aquele que foi durante meio século o mais popular esporte da cidade: a ginástica olímpica. O retorno dessa modalidade era uma das metas estabelecidas pelo presidente Otacílio Peron, logo após assumir seu segundo período de gestão. Com o desaparecimento da Sociedade Ginástica o esporte também ficou esquecido durante muitos anos, mas por volta de 1985 um projeto da Comissão Municipal de Esportes reanimou jovens a praticá-la.    

Até 1988, sob o comando dos professores Carlos Ávila e Hamilton Baturité Mesquita, a Ginástica Olímpica funcionou sob a chancela do município, que mais tarde atenderia o pedido do clube, assinando assim um convênio que transferiria os equipamentos e aparelhos do Ginásio Lingüição para a sede do Olímpico.    

O grande impulso foi na posse da nova diretoria em 1989, quando o prefeito Wilson Kleinübing, um assíduo associado do Clube, promete a aquisição de um tablado de ginástica de solo. Peron havia já reservado as instalações superiores do clube para abrigar essa nova modalidade.    

Campeão dos Jogos Abertos de Joaçaba, defendendo a CME de São Bento do Sul, vinha servir à modalidade em Blumenau o técnico e ex-atleta gaúcho, Cláudio Abel Ruchinsque, que traria consigo atletas de destaque a nível estadual, como Girlei João Soares, de Joinville, Marcelo Hasheiter, de São Bento, além de manter uma base já existente com a equipe, sendo completada por Carlos Eduardo Lopes, Marcel Poffo, James Rosa, Rafael Henzer, Marco Murilo Negredo e Marcio Aurélio Henschel.   

Equipe feminina

Ao lado de Cláudio Abel viria ainda a técnica Ana Marcia Scheidt para comandar as pequenas ginastas da equipe feminina, uma das grandes promessas do clube, na faixa etária dos 9 aos 13 anos, assim como o supervisor Paulo Kirita.    

O retorno oficial da Ginástica Olímpica ao clube marcou também a inauguração das novas dependências e novo tablado de exercícios no solo no dia 3 de junho de 1989, quando um numeroso público assistiu as primeiras apresentações dos jovens ginastas. Outro fato que marcou o evento foi a presença de Scheine Rizzi, vice-campeã brasileira e Ainda Hutz, campeã brasileira, atletas gaúchas do Grêmio Náutico União, especialmente convidadas para abrilhantarem o espetáculo.    

A história se repete. Aquele que era uma sinônimo do esporte blumenauense por mais de cinco décadas transforma-se em uma grande promessa para o futuro a partir de um trabalho de base que iniciou-se com a ativação do departamento. Pessoalmente Abel e o supervisor Kirita percorreram escolas do município em busca de futuros atletas. Além de criarem uma base sólida na Ginástica Olímpica, ativaram uma escolinha para a modalidade, transformando essa nova estrutura em um celeiro de atletas.   

Equipe infantil masculina

 

Os comentários estão fechados.